Publicado em 04 de julho de 2012

Programa de Atendimento Domiciliar beneficia pacientes

Foto: Mauricio Rocha
Foto de uma paciente idosa durante o tratamento de fisioterapia feito por uma enfermeira com o auxilio de sua filha
A fisioterapia é fundamental para pacientes com dificuldade de locomoção

O PAD – Programa de Atendimento Domiciliar, desenvolvido pelo Prefeitura de Rio das Ostras, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, segue parâmetros estabelecidos pelo próprio Ministério da Saúde e tem beneficiado dezenas de famílias no município. O programa foi criado há cerca de dois anos e recentemente foi ampliado. Agora, o PAD dispõe de 23 profissionais atendendo 150 pessoas no município de Rio das Ostras. As visitas acontecem sempre de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30.

Voltado especificamente para pacientes com dificuldades de locomoção, o Programa de Atendimento Domiciliar é desenvolvido diretamente nas residências, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida do acamado (de forma permanente ou temporária) e evitar a sua internação. As pessoas que se beneficiam do PAD são portadores de doenças crônicas, pacientes em recuperação de procedimentos cirúrgicos ou em fase de reabilitação após alguma enfermidade aguda. Os casos mais comuns são as doenças crônicas degenerativas.

Os pacientes são atendidos de forma programada e por uma equipe multidisciplinar, composta por médico, enfermeiro, nutricionista, psicólogo, fisioterapeuta, assistente social e técnico de higiene dental. A equipe de profissionais orienta os familiares quanto aos cuidados que são necessários para os pacientes, objetivando a manutenção da sua saúde em níveis que possam permitir uma vida com mais qualidade.

Maria Luiza da Conceição tem 87 anos. Acometida de Mal de Alzheimer, a aposentada recebe atenção e carinho dos profissionais do PAD há cerca de um ano e meio. A filha dela, Elizabete Luiza de Macedo, é sua cuidadora e conta com as orientações de toda a equipe que, a cada três meses, faz uma visita à família que mora no Liberdade. “Percebo que minha mãe fica bem melhor com essas visitas, principalmente com a fisioterapia. As dicas da nutricionistas também são muito importantes”, disse Elizabete.

O doutor Tito René Tavares é clínico e acompanha dona Maria Luiza. O médico atua numa das equipes do PAD desde o início do programa e faz questão de esclarecer a população sobre o trabalho nas residências. “O PAD deve ser utilizado com critérios para beneficiar as pessoas que realmente estejam impossibilidades de buscar o atendimento ambulatorial. É importante que nosso trabalho seja feito para evitar uma sobrecarda nas unidades de saúde e fazer com que toda a família se sinta acolhida”, destacou o doutor Tito.

Na mesma sintonia está a coordenadora do Programa de Atendimento Domiciliar de Rio das Ostras, Cláudia Corrêa. “A família é orientada a compreender e cuidar de seu paciente. Nossas equipes fazem curativos, avaliação nutricional, fisioterapia e até ensinam como escovar corretamente os dentes de quem apresenta dificuldade de locomoção, porém, esse trabalho deve ser continuado pelos acompanhantes”, enfatizou.

Maycon Verdan é coordenador de fisioterapia do PAD. Para ele, é muito importante que os pacientes sejam estimulados. “No caso dos pacientes acamados, a fisioterapia atua principalmente para evitar atrofias e proporcionar mais qualidade de vida a quem permanece por muito tempo numa mesma posição”, destacou o fisioterapeuta, lembrando que os familiares também são orientados para estimular com exercícios os pacientes.

A médica Jane Teixeira, coordenadora de Saúde Básica do município, ressalta que o Programa de Atendimento Domiciliar tem a demanda crescente principalmente por conta do envelhecimento populacional e pela alta incidência das doenças crônicas degenerativas. “As famílias podem contar com profissionais capacitados para atuar diretamente nos lares, evitando as dificuldades de locomoção do paciente até as unidades de saúde. Vale ressaltar que o PAD não é emergência, portanto não deve ser acionado pela população em situações de urgência e emergência. Nesses casos, o certo é ligar para o serviço de emergência, o resgate 192”, ponderou a doutora Jane.

Para se cadastrar no Programa de Atendimento Domiciliar de Rio das Ostras é preciso ligar para 2771-3212.


Rua Campo do Albacora, nº 75 - Loteamento Atlântica - (22) 2771-1515