Foto de uma família curtindo a Praia Boca da Barra num dia ensolarado

Profissionais da Educação fazem curso no Rio de Janeiro

  • Foto: Divulgação
    Descrição da foto
    Curso foi motivado pela preocupação com a crescente demanda no cenário educacional no Brasil e no mundo sobre o tema
Publicada em: 21 de Maio de 2019 - 12h59 Por: Departamento de Jornalismo - ASCOM
Curso foi motivado pela preocupação com a crescente demanda no cenário educacional no Brasil e no mundo sobre o tema Foto: Divulgação

Técnicos da Secretaria Municipal de Educação, Esporte e Lazer de Rio das Ostras participaram, no dia 13 de maio, do Curso “Automutilação sem intenção suicida”, no Rio de Janeiro. O evento foi ministrado por Carlos Henrique de Aragão Neto, uma das mais importantes referências brasileiras em Automutilação Sem Intenção Suicida (ASIS).

O curso foi motivado pela preocupação com a crescente demanda no cenário educacional no Brasil e no mundo sobre o tema. Psicólogo e Psicoterapeuta, Carlos Aragão é especialista em terapia de Luto; Mestre em Antropologia (UFPI); Doutor em Psicologia Clínica e Cultura (UnB) e membro da IASP (International Association For Suicide Prevention); da ISSS (International Society For The Study Of Self-Injury); e da ABEPS (Associação Brasileira de Estudos e Prevenção do Suicídio).

A participação nesses eventos, principalmente por profissionais da Saúde e da Educação, é necessária. “Buscar entender esse fenômeno e se capacitar para oferecer a quem sofre um atendimento adequado é muito importante”, diz Carla Costa, coordenadora da equipe de Orientadores Educacionais da Secretaria de Educação, Esporte e Lazer de Rio das Ostras.

A Automutilação Sem Intenção Suicida (ASIS) refere-se a uma lesão causada no corpo pelo próprio indivíduo, sem a intenção suicida. É considerada em todo o mundo um importante fator de risco para o suicídio, pois há uma relação entre histórico de ASIS e histórico de tentativas de suicídio.

A maioria dos que praticam Automutilação Sem Intenção Suicida (ASIS) relatam fazer o dano para aliviar uma dor emocional com a qual não conseguem lidar, mas as motivações são diversas.

Pesquisa no Portal