Foto de uma família curtindo a Praia Boca da Barra num dia ensolarado
  • Você está em

  • Página inicial
  • Notícias
  • Jazz & Blues
  • Apresentações vibrantes e cheias de versatilidade eternizam segunda noite no Rio das Ostras Jazz & Blues Festival

Apresentações vibrantes e cheias de versatilidade eternizam segunda noite no Rio das Ostras Jazz & Blues Festival

  • Foto: Cláudio Pacheco
    Descrição da foto
    Dia 21 - Rio das ostras Jazz & Blues
  • Foto: Cláudio Pacheco
    Descrição da foto
    Dia 21 - Rio das ostras Jazz & Blues
  • Foto: Cláudio Pacheco
    Descrição da foto
    Dia 21 - Rio das ostras Jazz & Blues
  • Foto: Jorge Ronald
    Descrição da foto
    Dia 21 - Rio das ostras Jazz & Blues
  • Foto: Allexandre Costa
    Descrição da foto
    Dia 21 - Rio das ostras Jazz & Blues
  • Foto: Allexandre Costa
    Descrição da foto
    Dia 21 - Rio das ostras Jazz & Blues
  • Foto: Allexandre Costa
    Descrição da foto
    Dia 21 - Rio das ostras Jazz & Blues
  • Foto: Jorge Ronald
    Descrição da foto
    Dia 21 - Rio das ostras Jazz & Blues
Publicada em: 22 de junho de 2019 - 03h34 Por: Departamento de Jornalismo - ASCOM
Dia 21 – Rio das ostras Jazz & Blues Foto: Cláudio Pacheco
Dia 21 – Rio das ostras Jazz & Blues Foto: Cláudio Pacheco
Dia 21 – Rio das ostras Jazz & Blues Foto: Cláudio Pacheco
Dia 21 – Rio das ostras Jazz & Blues Foto: Jorge Ronald
Dia 21 – Rio das ostras Jazz & Blues Foto: Allexandre Costa
Dia 21 – Rio das ostras Jazz & Blues Foto: Allexandre Costa
Dia 21 – Rio das ostras Jazz & Blues Foto: Allexandre Costa
Dia 21 – Rio das ostras Jazz & Blues Foto: Jorge Ronald

O segundo dia do Rio das Ostras Jazz & Blues Festival foi de arrepiar. Abrindo a programação dos shows pela cidade, o palco São Pedro Sesc foi invadido pelo Blues nesta sexta-feira, 21, com um som contagiante. Gabriel Silva encantou o público que lotou a Concha Acústica. A apresentação também contou com a participação especial do guitarrista Paulinho Moreira, da banda Jamz que empolgou a plateia.

Já no Palco Iriry Sesc, o ritmo era contagiante, muito blues e soul. Big James mostrou toda sua potência vocal com o trombone no show desta sexta-feira. O cantor e trombonista empolgou a todos, acompanhado pelos talentosos irmãos guitarristas Danilo e Nicolas Simi, conhecidos como Simi Brothers.

O palco da Praia da Tartaruga Sesc recebeu a Banda The Jig, que veio de Amsterdã trazendo um som eletrizante de jazz-funk, com uma pegada vintage. Moradores e turistas explodiam em alegria curtindo música de qualidade e com segurança. Uma das características do grupo é mesclar composições clássicas e modernas do Soul, Afro, Jazz e Rock. Para sentir a energia do público alguns músicos caminharam até perto da plateia.

CIDADE DO JAZZ – E a segunda noite de shows na Cidade do Jazz, em Costazul, foi marcada pela empolgação de músicos e plateia. Foram momentos que ficarão eternizados na memória dos amantes de Jazz e Blues.

Abrindo a sequência das apresentações, um show marcado pela versatilidade dos metais e dos diversos timbres da Onda de Sopro Big Band, que foi criada em 2016 por estudantes do Centro de Formação Artística de Música, Dança e Teatro de Rio das Ostras.

Em seguida, pura magia no palco Costazul Sesc durante apresentação de Romero Lubambo. O músico destacou clássicos da MPB e do Jazz Americano ao lado de Dianne Reeves, sua convidada especial para celebrar mais de 20 anos de parceria.

Logo após, foi vez do saxofonista, compositor e arranjador Bob Franceschini All Star Band se destacar no palco Costazul Sesc, na terceira apresentação da segunda noite do Rio das Ostras Jazz & Blues Festival. Um momento especial para milhares de pessoas na Cidade do Jazz.

O penúltimo show da noite foi com a banda Bixiga 70, que não deixou ninguém ficar parado na Cidade do Jazz. Os 10 músicos mostraram de forma descontraída e irreverente o que há de melhor na música instrumental. Um som dançante, que misturou ritmos como funk, jazz, reggae e eletrônico.

Encerrando a noite do Rio das Ostras Jazz & Blues o som vibrante do guitarrista e tecladista americano Lucky Peterson. Uma mistura bem dosada de canto gospel com soul, blues e rock. A chuva chegou, mas o público prestigiou até o fim de mais uma noite memorável.

Pesquisa no Portal